O que fazer no Sul do Brasil: uma viagem para todos os gostos

Language Specific Image

Você já se perguntou o que fazer no Sul do Brasil? Clima frio, comida boa e paisagens exuberantes são figurinhas carimbadas de qualquer roteiro pela região.Gramado é a pedida certa para quem quer curtir um vinho perto da lareira e Florianópolis é para quem quer tomar um banho de sol olhando o mar. Há lugares para todos os gostos no sul:  arquitetura para apreciar, comidas típicas para provar, pessoas com ascendências diferentes para conhecer e muita (MUITA!) natureza para desbravar.

Procurei montar um roteiro equilibrado e escolher cidades e lugares que eu, amante do verde, gostaria de conhecer para fugir do habitual. São os melhores destinos para quem gosta de ver gente, natureza e diversidade. Bora lá?

O que conhecer – Rio Grande do Sul 

Claro que, como boa gaúcha que sou, começo pelo Rio Grande do Sul. Passar pela capital, seguir pela serra gaúcha e subir para os famosos cânions é um roteiro que todo viajante deve traçar quando vem desbravar as terras rio-grandenses. Prepara teu chimarrão e vambora!

Porto Alegre

Como não poderia ser diferente, a primeira parada é a capital: Porto Alegre. Se estiver com fome ao desembarcar no Aeroporto Salgado Filho ou na Rodoviária, vá direto ao restaurante Cantina do Toco. Além de experimentar a típica comida italiana, você ainda pode passear pela orla da praia de Ipanema, banhada pelo Rio Guaíba, um dos cartões postais da capital.

📷 @insanapires

Outra parada fundamental para conhecer é o Parque Farroupilha, ou Redenção, como todos chamam por aqui. Com 370 mil metros quadrados, a área é repleta de árvores (de acordo com a Prefeitura, são 10 mil espécies!), paisagens para tirar boas fotos e carrinhos que vendem churros maravilhosos, indispensáveis ao passeio. O lago também é diversão garantida, em que os visitantes podem se aventurar nos pedalinhos pela bagatela de R$ 3,00.

📷@flor_castilhos

Terminar o dia sentado na grama, vendo o pôr do sol na Usina do Gasômetro e tomando um bom chimarrão é a minha dica para o final do dia na capital. Hospede-se num dos hostels que, em média, tem diária a partir de R$ 40. E agora? Bora subir a serra!

📷@franciscosimonis

Bento Gonçalves

📷@ismrbluesky

A região serrana não pode ser deixada de lado nos roteiros de viagem pelo sul. Bento Gonçalves, a 122km de distância da capital, é uma cidade que faz parte do intitulado Vale dos Vinhedos, que abriga algumas das melhores vinícolas do Brasil. São 13 ao todo, que têm programações diferentes e atraentes para os viajantes que podem conhecer a fabricação do vinho desde a colheita da uva até o processamento da bebida nos barris de madeira.

📷@ninecopetti

A Via del Vinho é um passeio tradicional e indispensável para quem conhece Bento. O tour, basicamente, passa por 13 pontos históricos na Rua Marechal Deodoro e dura cerca de 40 minutos. Os visitantes são guiados pela caminhada, que passa por sobrados que de famílias da região e prédios que funcionam como bancos e clubes, além do Santuário de Santo Antônio, a Praça Walter Galassi e a Prefeitura Municipal. Quem ama arquitetura vai se encantar com as construções que montam um pedacinho da Itália em solo gaúcho.

Depois de caminhar admirando a cidade, Bento Gonçalves oferece o típico passeio de Maria Fumaça. Com uma rota de 23 quilômetros e duas horas de duração, a viagem já começa maravilhosa: com degustação de vinhos. Ao longo do percurso, grupos típicos andam pelos vagões entoando músicas tradicionais da região. A Maria Fumaça para em Garibaldi e segue para a pequena cidade de Carlos Barbosa. O único detalhe da programação é que ela precisa de reserva e só acontece de quarta-feira até domingo. Em janeiro, junho, novembro e dezembro, há saídas todos os dias pois é época de alta.

📷@analu_psp

Depois de muita comilança (acredite, vai ter muita!), é hora se seguir o roteiro para os cânions. Mochila no ombro e, como sempre, chimarrão na mão!

Cambará do Sul

A 188km de distância de Bento Gonçalves, cânions com paredões de até 900 metros esperam viajantes que desejam apreciar a grandeza da natureza. A cidade de Cambará do Sul fica próxima dos parques da Serra Geral e o Aparados da Serra, frequentados por milhares de pessoas em todas as épocas. Aliás, o passeio é conhecido por ter todas as estações do ano em poucas horas: num minuto, a neblina cega a todos. No outro, o vento leva as nuvens e dá espaço para o sol forte. Os cânions mais visitados são o Itaimbezinho e o Fortaleza, que ficam em direções opostas. Normalmente, é recomendado que se reserve um dia para conhecer cada um deles.

📷@dinho.ntt

O que se imagina, visualizando uma grandeza dessas, é a calmaria, paz, reflexão interior intensa, não é? Que nada! Além das caminhadas, que podem durar de 45 minutos a oito (oito!) horas, os aventureiros podem se arriscar no rapel, passeios de 4×4, de bicicleta e de quadriciclo. Para aqueles que gostam do contato com a água, tem também o passeio de bote pela correnteza tranquila do Rio Camisas, com duração de três horas e 4,5 quilômetros de percurso.

Depois das boas doses de adrenalina, o roteiro pode incluir um passeio às cascatas e lajeados. A mais conhecida é a Cascata dos Venâncios, formada pelas águas do Rio Camisas, há 23 quilômetros da cidade. Cambará ainda oferece o Centro Cultural Dr. Santo Bornéo, o Museu Irmã Tarcila Afonso e a Igreja Matriz São José para visitar e conhecer um pouco mais da história da cidade que abriga em torno de sete mil habitantes.

📷@robertaspadini

Já que estamos do lado de Santa Catarina, vamos pegar uma praia?

O que conhecer: Santa Catarina 

Praia do Matadeiro

📷@jrbetosiqueira

Entre as praias da Armação e Lagoinha do Leste, existe uma praia calma, singela e com beleza impecável. A Praia do Matadeiro fica ao sul de Florianópolis e tem cerca de 640 metros de extensão. É um lugar para descansar, meditar e esquecer da rotina das capitais. Por conta do acesso restrito, que exige cuidado em certas épocas do ano, a mata local é bem preservada, e a poluição nos grãos de areia branquinhos é praticamente nula.

Como a calmaria impera no lugar, casas de veraneio, restaurantes e bares são raros. A melhor ideia é levar lanches para saciar a fome ao longo do dia, livros para ler na beira do mar e muito protetor solar (sem esquecer de recolher todo o lixo depois, hein?). Os surfistas costumam amar a praia quando o vento e a ondulação colaboram, formando ondas perfeitas para as pranchas.

📷@nathaliadothling

Depois de passar um dia curtindo o silêncio e a calmaria da praia, precisamos de um ânimo nesse roteiro. Gosta de curvas? A Serra do Rio do Rastro te espera!

Serra do Rio do Rastro

📷@fa_rib

Olhando a foto, parece que é de mentira, né? A Serra do Rio do Rastro é uma estrada de, mais ou menos, 20km no meio de um morro. Assim, literalmente: o caminho íngreme corta a Mata Atlântica do local e liga as cidades de Bom Jardim da Serra e Lauro Muller. Quem já esteve por lá, garante: tanto a descida, quanto a subida são incríveis! Sensações totalmente diferentes entre uma e outra, por isso, é indispensável realizar as duas.

Vários mirantes são espalhados pela estrada, em que os viajantes podem estacionar e parar pra apreciar a vista. Se der sorte, no ponto mais alto da Serra, a visão do mirante chega a alcançar 100km. Também tem restaurantes e quiosques pra parar e comer algo, tomar uma água e um fôlego! rs

Escolhi a Serra do Rio do Rastro para fazer parte desse roteiro porque é um dos locais que quero ir com o meu pai, que é totalmente apaixonado por curvas e passeios com essas doses de adrenalina. Pode não haver locais turísticos e habituais para conhecer nesse passeio, mas só de ter a experiência de apreciar essa vista, para mim, já vale.

E agora, vamos voltar pra praia?

Balneário Camboriú

Descanso ou agito? Balneário pode oferecer os dois! As praias da cidade são perfeitas para os dois gostos. Se quer barzinhos e baladas, a Praia Central é o seu destino. Se quer descanso e sossego, pode ir para a Praia das Laranjeiras, Praia das Taquarinhas, Praia do Buraco… São várias mesmo!

📷@tiagozancanaro

Uma boa alternativa para conhecer algumas ou todas as praias é a rodovia Interpraias. O caminho tem 14 km de extensão com seis praias para se ver: Laranjeiras, Taquarinhas, Taquaras, Pinho, Estaleiro e Estaleirinho. Dá pra fazer uma parada em quase todas elas. Detalhe: não pegue a câmera na Praia do Pinho, porque é uma praia de nudismo! Lá só pode quem realmente quer praticar o naturismo.

Se Rio de Janeiro tem o Cristo Redentor, Balneário Camboriú tem o Cristo Luz. Um monumento de 33 metros de altura para ir com a família ou com os amigos e tirar várias fotos da incrível vista. A parte mais legal do Cristo Luz é que ele segura um canhão de luz (jus ao nome) e, à noite, ele é aceso, com efeitos sonoros e visuais. É divertido!

📷@jamfera

Já que estamos no norte de Santa Catarina, que tal esticar o roteiro pro Paraná? Bora!

 O que conhecer – Paraná 

Foz do Iguaçu

Continuando a vibe natureza, Foz do Iguaçu é uma das sete maravilhas naturais do mundo que deve ser visitada. Se há algum lugar deste roteiro que eu acredito ser imprescindível conhecer, é o Parque Nacional do Iguaçu. As cataratas são incríveis, com quedas de 40 a 82 metros, e o parque tem 185 mil metros quadrados. Cinco das grandes quedas d’água são do lado brasileiro (a cidade faz fronteira com a Argentina):  Santa Maria, Deodoro, Benjamin, Floriano, União e Constant.

📷@erickpinedo_natgeo_latam

Além das cataratas, também é possível visitar a Usina Hidrelétrica da Itaipu. Sim, fica lá em Foz! Dentro do Complexo Turístico de Itaipu, dá pra apreciar a iluminação monumental da Usina, visitar o Ecomuseu, o Refúgio Biológico Bela Vista e o Porto Kattamaram. Como no passeio de Maria Fumaça, lá no Rio Grande do Sul, tem que ficar atento porque algumas das visitas necessitam de agendamento e têm vagas limitadas.

Há incontáveis passeios para se fazer em Foz do Iguaçu. A maioria é voltada para a natureza, porque a própria cidade exalta o natural. Parque das Aves, luau nas Cataratas, trilha do Poço Preto e trilha das Bananeiras são só algumas das programações possíveis para realizar e aproveitar a viagem. Como em todo o roteiro, repito: depende da sua vibe.

📷@taynunesf

Espero que meu roteiro de viagem pelo sul e meus destinos tenham sido úteis para você. Encerro lembrando: a natureza tudo criou e tudo nos dá. Preservemos!

📚 Sobre a autora 📚

Vitorya Paulo – estudante de jornalismo, apaixonada por bichos e pela natureza em geral, viciada em escrever e em bolo de chocolate.

👉 Se quiser ler mais algumas coisinhas que escrevo, confere meu Medium!

👉 Se quiser ver algumas besteiras, me segue no Instagram! 

Deixe um comentário

Get the App. QRGet the App.
Get the App. QR  Get the App.
Rolar para o topo