10 motivos para você planejar AGORA a sua viagem para o Atacama

O Deserto do Atacama é um dos destinos mais desejados por viajantes do mundo todo, e isso não é à toa: afinal, em qual outro lugar do planeta se pode assistir ao nascer do sol entre vulcões, passar a tarde caminhando ao lado de cactos gigantes e encerrar o dia observando a via láctea a olho nu?

Isso para citar apenas três entre as diversas experiências inesquecíveis que alguém pode viver neste pedaço de paraíso que é o deserto mais alto e seco do mundo. Localizado no norte do Chile, o Atacama é a escolha perfeita tanto para quem ama aventuras quanto para quem quer ficar mais próximo da natureza sem abrir mão do conforto.

E se isso ainda não foi o suficiente para convencer você a começar a planejar a sua viagem para lá agora mesmo, aqui vão mais 10 motivos para te fazer mudar de ideia:

1. Paisagens de tirar o fôlego, o tempo todo

Estrada que leva às Lagunas Altiplânicas 📷@pareceobvioblog

Não é exagero: para onde quer que você olhe, vai existir uma paisagem que te faz duvidar se aquilo tudo é mesmo real. Mas é.
O espetáculo começa ainda antes da chegada em San Pedro de Atacama – a estrada que leva até a cidade é de cair o queixo! -, e a partir daí a coisa só melhora: seja caminhando pelas ruas do povoado ou percorrendo as estradas a caminho de algum passeio, os cenários são todos surreais.
Prepare-se para fazer as fotos mais incríveis da sua vida, mas não se esqueça de deixar a câmera de lado por uns instantes para também curtir tudo com os seus próprios olhos.

2. Um povo que encanta e tem muito a ensinar

Guia local em frente à Laguna Miñiques, uma das Lagunas Altiplanicas 📷@henrique.raw

Embora a natureza seja a grande protagonista em uma viagem ao Atacama, não podemos deixar de considerar as pessoas que pertencem àquele lugar e que em tão pouco tempo conseguem nos transmitir uma sabedoria que encanta tanto quanto a paisagem.
Mesmo sendo uma cidade totalmente voltada para o turismo – o que significa que lá você encontrará não só chilenos, mas pessoas de todos os cantos do mundo –, San Pedro ainda conserva um tanto das tradições dos seus povos originários, os indígenas atacameños, também chamados Licán-Antai.
Oportunidade única para entrar em contato com uma cultura tão singular!

3. A sensação de não conseguir afundar

Boiando na Laguna Piedra, no parque onde fica a Laguna Cejar 📷@pareceobvioblog

Não importa qual é o seu peso nem o quão desajeitado você é em esportes aquáticos: lá, nem que você se esforce muito, vai conseguir afundar. Pelo menos é isso o que acontece quando você topa entrar nas águas da Laguna Cejar, que têm uma concentração de sal sete vezes maior do que a do mar e que, por conta disso, fazem o seu corpo boiar naturalmente, sem esforço nenhum!
A experiência é gelada – talvez você demore um pouco até criar coragem de entrar na água –, mas a sensação vale totalmente a pena!
Para quem não vai à Laguna Cejar, o passeio às Lagunas Escondidas também tem essa oportunidade.

4. Uma piscina quentinha a – 10°C

Banho quente na piscina termal dos Gêiseres de Tatio 📷@pareceobvioblog

Nem só de calor se faz um deserto, especialmente quando estamos falando do Atacama. Conhecido por suas temperaturas negativas – que em um dia bom ficam por volta dos -10ºC –, o passeio aos Gêiseres de Tatio é prova disso.
A boa notícia é que, além de proporcionar uma das experiências mais frias da sua vida, o lugar também vai te aquecer de um jeito inesquecível: no meio do vale onde ficam os gêiseres, uma piscina natural com águas quentinhas fica à disposição dos viajantes que não se deixam assustar pelos termômetros.
Já vá preparado com suas roupas de banho por baixo, e não deixe de entrar. Eu juro que é menos frio do que parece!

5. O céu mais espetacular do mundo

O céu estrelado do Atacama 📷@Andrew-Art

Se durante o dia o sol torna tudo ainda mais bonito, à noite é a vez das estrelas darem o show. E me desculpem se estou sendo repetitiva nos elogios, mas não, não é exagero!
Em função da sua geografia, o Atacama é reconhecido como um dos melhores lugares do planeta para observar o céu e basta olhar para cima para perceber o quando este título é merecido. Afinal, onde mais você consegue observar tantas estrelas – e até a Via Láctea! – a olho nu?
Programe-se para visitar o deserto fora do período da Lua Cheia, pois, nessa época, a visibilidade não é tão boa, e prepare-se para viver uma das noites mais especiais da sua vida.

6. Um pedaço da lua na Terra

Valle de La Luna visto de cima 📷@henrique.raw

Aqui, o próprio nome do lugar já entrega: o passeio ao Valle de La Luna, um dos mais tradicionais do Atacama, é provavelmente o mais próximo que você vai chegar de outro planeta sem sair da Terra.
Imagine passar a tarde caminhando em meio a uma imensidão de dunas, montanhas e cavernas feitas de sal, e encerrar o dia no topo de um cânion, assistindo a um colorido pôr do sol emoldurado por vulcões. É disso que eu estou falando.
Você vai ficar sem ar, mas não vai ser por causa da altitude.

7. Vulcões, vulcões por toda parte!

Laguna Miscanti e vulcões ao fundo 📷@pareceobvioblog

Impossível escrever sobre o Atacama sem falar sobre os seus vulcões! Afinal, se existe uma certeza neste deserto, é de que para onde quer que você vá, lá vai existir um vulcão – nem que seja ao longe, enfeitando a paisagem.
Desde o icônico e imponente Licancabur, cujo formato encanta por ser exatamente como nós imaginamos um vulcão desde a infância, até os mais amigáveis Toco e Láscar – este último, o mais ativo da região – os vulcões são uma presença constante durante toda a viagem.
Para quem curte uma aventura, existe a possibilidade de subir até o topo de alguns desses vulcões – uma experiência que eu não tive coragem de enfrentar dessa vez, mas que já está na minha lista de motivos para voltar a San Pedro.

8.  Sabores que você só encontra lá

Sorvete de rica rica e chañar na Calle Caracoles 📷@pareceobvioblog

Afinal, além de ser necessário para que você tenha energia para tantos passeios, comer também faz parte da experiência de conhecer um novo lugar!
Assim como a já conhecida folha de coca, bastante popular em destinos com altitude elevada, você vai poder experimentar sabores únicos como o do ayrampo, um fruto da família dos cactos, o chañar, uma semente doce conhecida como mel do deserto, e a rica rica, uma planta de gosto mentolado.
Além das preparações em chás e xaropes, uma ótima alternativa para provar essas delícias é nos sorvetes artesanais – as heladerías da cidade são excelentes!

9.  Sentir-se pequeno diante da imensidão da natureza

Lagunas Escondidas 📷@pareceobvioblog

Depois de alguns dias vivendo experiências tão próximas da natureza, visitando tantos lugares incríveis e aprendendo um pouco mais sobre a sua história, é impossível não se sentir pequeno diante de tamanha imensidão.
Diferente de outros destinos mais tradicionais, nos quais a arquitetura e a arte são os protagonistas, no Atacama todos os créditos são da natureza. Estar lá e perceber o quanto a mãe-terra – patta hoiri, na língua dos Licán-Antai – é sábia e generosa, oferecendo a nós não só a beleza, mas também tudo de que precisamos para viver… é único.

10. Aprender que é possível viver de outra forma, mais simples e conectada com a natureza

Trekking de Guatín 📷@marcio.milesi

Mais do que conhecer um novo lugar e fazer fotos incríveis – porque sim, isso também faz parte da experiência! -, viajar para o Atacama é uma daquelas coisas que faz você pensar na vida. Aliás, mais do que pensar: repensar.
Você vai perceber que é possível sentir-se completo mesmo na simplicidade. E que poucas coisas se comparam a essa sensação de conexão com a natureza, que só um lugar como o deserto pode proporcionar.
Talvez você comece a questionar a necessidade de muitas coisas no seu dia a dia; ou talvez você não questione, mas passe a ser mais grato pelo o que já tem. Seja qual for o seu caso, uma coisa é certa: a viagem ao Atacama pode até terminar, mas os efeitos que ela causa em você duram para sempre.

 📚 Sobre a Autora 📚

Caroline Abreu é jornalista e advogada, mas acredita que seus maiores aprendizados foram obtidos em viagens, e não na sala de aula. Em seu site, ela escreve sobre minimalismo, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Para acompanhar as suas experiências, acesse o blog Parece Óbvio.

Deixe um comentário

Rolar para o topo