19 viajantes latinos que vão provocar um grande desejo de viajar

Language Specific Image

Através da minha comunidade @latinaslovetravel, conheci algumas instagrammers latinas ferozes, que inspiram o seu público enquanto nómadas digitais, viajantes individuais e fotógrafas. Falei com elas para saber mais sobre suas experiências como latinas viajantes, seus lugares favoritos e onde adoram ficar.

1. Ashleytscn

Ashley é uma viajante solo mexicana-americana que já esteve em mais de 55 países.

📲 Seguidores: 2.3k

Eu me identifico como mexicana porque cresci falando espanhol e sigo muitos costumes mexicanos, porém nasci e cresci nos Estados Unidos. As pessoas geralmente não me identificam como Latina, a menos que eu lhes diga. Considero reconfortante saber que posso misturar-me com tantas comunidades diferentes, especialmente quando viajo sozinha. Isto permite-me estabelecer contacto com muitas pessoas e participar em conversas sobre a minha origem e etnia.

Albergue preferido: Mambembe Hostel no Rio de Janeiro, Brasil, onde eu e os meus irmãos ficámos quando estávamos de visita para o nosso primeiro Campeonato do Mundo. Eu adorei o Mambembe porque ele fica num dos bairros mais charmosos do Rio, nas colinas de Santa Teresa. Acordar com as vistas do Rio era espetacular.

📷@ashleytscn

2. _blueve

Evelyn é uma AfroLatinidad dominicana que educa o seu público sobre as realidades de viver e viajar com epilepsia.

📲 Seguidores: 20.8k

As pessoas geralmente assumem que sou afro-americano ou misto. Estereótipos étnicos e discriminação são algumas das desvantagens que experimentei ao viajar como latina. As latinas serão melhor representadas quando as mulheres de todos os grupos raciais tiverem a mesma quantidade de aceitação, reconhecimento e inclusão. Nem todas somos parecidas com Sofía Vergara ou JL0. Precisamos de dar mais oportunidades às minorias. Gosto da camaradagem que os Latinxs partilham quando nos reconhecemos uns aos outros, os Latinxs vão estar sempre lá para nos ajudar se puderem. Tenho algumas limitações devido ao meu passaporte dominicano, mas adoro visitar as praias e cascatas incrivelmente bonitas da minha terra.

Albergue preferido: Um dos melhores hostels em que fiquei até agora foi a Casa Colibrí em Palomino, Colômbia. Depois de uma estadia agitada em Santa Marta, precisávamos de uns dias relaxantes e escolhemos este hostel para isso. Adorámos totalmente, a comida era saborosa e fresca, e o ambiente era calmo. Os proprietários foram muito respeitosos e diligentes. Recomendaria 10/10.

📷@_blueve

3. mapsandmuses

Michelle é cubano-americana e apresenta o melhor da sua cidade natal, Miami, na Florida, no seu feed, bem como as suas aventuras em locais exóticos.

📲 Seguidores: 11k

Quando as pessoas ficam a saber que sou cubana, muitas vezes dizem-me que está na sua lista de desejos para visitar. Gosto de educar as pessoas sobre a cultura cubana, o que pode apagar quaisquer estereótipos que possam ter. Quero que mais pessoas que visitam Cuba falem com o povo cubano para ouvir o que eles passaram e os apoiem de todas as formas possíveis. Também ADORO conhecer outras latinas quando viajo. Não importa de que país são, cria-se imediatamente um laço.

Albergue favorito: Uma das estadias mais memoráveis que tive num hostel foi em Chiang Mai, na Tailândia, na Absolute House. A casa é propriedade de um jovem casal e do seu bebé. Foram muito simpáticos e prestáveis durante todo o tempo que lá estivemos. Foi a nossa primeira paragem na nossa viagem de duas semanas pela Tailândia e a nossa primeira vez na Ásia. A localização era óptima; íamos a pé para todos os mercados todos os dias. Eles também nos ajudaram com o transporte quando precisávamos. Adorei o facto de não podermos usar sapatos lá dentro e de o sítio estar cheio de outros mochileiros.

📷@mapsandmuses/

4. cristyproca

Cristina tem apenas 18 anos, mas esta viajante mexicana já esteve em 39 países.

📲 Seguidores: 820

Eu sou alto e orgulhoso e aproveito todas as oportunidades que tenho para me envolver com os outros e ser um embaixador da comunidade latina. É importante encorajar outras latinas a viajar, mesmo que seja para o país ao lado de onde vivem. É sempre possível aprender através das viagens. O conhecimento é poder e nós somos poderosos.

📷@cristyproca

5. fromabolivian

Vanessa é uma fotógrafa boliviano-argentina.

📲 Seguidores: 8.5k

Quando olho para as contas de instagram de viagens, são maioritariamente mulheres europeias e americanas loiras. Não seria ótimo ver latinas castanhas curvilíneas a viajar também? É importante que as latinas viajem para explorar as suas terras ancestrais e para manter as suas culturas vivas. Os bolivianos estão sub-representados. Falta uma representação da América do Sul na cultura latina. Tento certificar-me de que não somos esquecidos.

📷@fromabolivian

6. marthamanz

Martha é uma viajante venezuelana-italiana.

📲 Seguidores: 18.6k

Sendo da Venezuela e vivendo com tantos problemas sociais e políticos, sinto que sou muito independente e posso lidar com qualquer situação quando estou a viajar. Os latinos são super amigáveis e eu também, então é fácil para mim me relacionar com pessoas diferentes ao redor do mundo. Tenho passaportes venezuelano e italiano, mas normalmente uso o italiano; sem ele, a minha história seria muito diferente.

📷@marthamanz

7. ivy__chic

A Ivonne é uma viajante mexicana-americana que viaja pelo mundo com estilo.

📲 Seguidores: 1.5k

Eu sou uma mexicana orgulhosa e amo meu país. Represento a comunidade latina mostrando que não devemos ter medo de viajar. Nossos pais são superprotetores e viajar sozinho realmente os preocupa. Quando comecei a viajar sem os meus pais, eles não gostaram muito da ideia e demorei muito tempo a convencê-los. Já disse à minha família que um dia quero fazer uma viagem a solo e eles acham que sou maluca.

Hostel preferido: Tive o prazer de ficar no Generator Hostel em Paris. É super trendy e tem um bar no telhado com uma vista de morrer. Também têm um café fantástico com refeições deliciosas, uma mesa de matraquilhos e uma área de estar muito descontraída. O Generator Hostel será definitivamente a minha escolha número 1 de hostel sempre que voltar à Europa.

📷@ivy__chic

8. meetadri

Adriana é uma enfermeira peruana que partilha as incríveis paisagens do Peru e do seu país de adoção, a Austrália.

📲 Seguidores: 1.6k

Viajar como latina me beneficiou, pois as pessoas com quem me deparei têm muito interesse na minha cultura. O Peru é um país com muita diversidade e beleza. Temos peruanos afro, indígenas, asiáticos e brancos e eu tento compartilhar isso com pessoas que talvez não soubessem de outra forma.

Albergue favorito: Eu experimentei um albergue quando estava viajando sozinho pela primeira vez e fiquei no USA Hollywood Hostels em Los Angeles, Califórnia. Estava um pouco ansiosa por ficar num hostel, mas a partir do momento em que cheguei ao USA Hollywood o pessoal foi muito simpático e havia muitas actividades para fazer. Fica literalmente ao virar da esquina do passeio da fama de Hollywood.

📷@meetadri

9. flopereira

Flor é uma jetsetter argentina que partilha dicas, truques e destinos escondidos de todos os lugares que visitou até agora, incluindo África do Sul, Hong Kong, Japão, Singapura e Tailândia.

📲 Seguidores: 75.4k

Vindo da Argentina, estás preparado para tudo, como as coisas que não correm como queres ou as pessoas que tentam aproveitar-se dos turistas; consegues ultrapassar qualquer situação. Na maioria das vezes, quando digo que sou da Argentina, as pessoas ou não sabem onde fica ou mencionam Maradona, Messi ou o Papa Francisco. Gosto de pensar em mim como um representante do meu país; com o tempo, espero que mais pessoas se apercebam de como a Argentina é fantástica.

📷@flopereira

10. lewildexplorer

Jeanine Romo é uma mexicana-americana que adora aventuras.

📲 Seguidores: 2.9k

Um dos benefícios de ser um viajante latino é que você pode se relacionar com tantas pessoas enquanto viaja pela América Central e do Sul. Uma frustração de ser um viajante latino é que às vezes você tem que suportar a ignorância e os equívocos das pessoas. Às vezes, se digo que sou dos Estados Unidos, ainda me perguntam “de onde sou realmente” Eu percebo, sou castanha e algumas pessoas podem não perceber que os latinos são a maior minoria nos Estados Unidos, mas sou tão americana como mexicana. Tenho muito orgulho em ser mexicana. Como viajante latina, sinto que é minha responsabilidade dar um bom exemplo quando se trata de turismo ético, por isso gosto de lembrar aos meus seguidores que devem ter consciência ambiental.

Albergue favorito: Puri Garden em Ubud, Bali, é um dos melhores albergues em que já fiquei. Conheci lá as pessoas mais incríveis, fiz ioga de manhã cedo e diverti-me imenso à beira da piscina. Aluguei uma mota e os meus novos amigos e eu fomos numa aventura pelas cascatas e terraços de arroz. Foi uma das melhores estadias que tive em Bali.

📷@lewildexplorer

11. viagem_ondeestá

Tessa é uma exploradora cubano-americana que tem como objetivo mostrar aos viajantes que podem viajar para os destinos mais bonitos com qualquer orçamento.

📲 Seguidores: 46.3k

Não me apercebi da sorte que tinha por ter um passaporte americano até começar a viajar para ganhar a vida. Tantos passaportes estrangeiros têm tais limitações. É algo que eu nunca vou tomar como garantido. O meu espanhol não é perfeito, por isso as pessoas ficam sempre surpreendidas quando sabem que sou cubano-americano. Só porque não sou uma latina de aspeto típico não me torna menos latina. Tento mostrar às pessoas que as latinas não têm apenas um aspeto. Somos um conjunto diversificado de indivíduos que podem parecer, agir e falar de formas muito diferentes.

Albergue favorito: Um dos melhores hostels em que já fiquei foi o Flying Pig, em Amesterdão. Foi o meu primeiro hostel e a minha primeira viagem ao estrangeiro. As instalações divertidas são o que me faz voltar ao mesmo hostel vezes sem conta.

📷@travel_wheretonext/

12. susyayala

Susy é uma viajante mexicana que vive em Hong Kong.

📲 Seguidores: 19.6k

Quando as pessoas ouvem que sou mexicana, presumem que sou uma boa dançarina de salsa. Adoro dançar e tenho um bom ritmo, mas no México não somos tão bons a dançar como os de outros países da América Latina. A imagem que os media fazem do México não me representa a mim, à minha família, aos meus amigos ou ao sítio onde vivo. Estou muito orgulhosa da minha herança latina e quero representar a minha cultura da melhor forma. Quero que mais latinas viajem e partilhem as suas experiências.

Albergue favorito: Em Siem Reap, fiquei no maravilhoso Heaven Angkor Residence. Têm uma piscina linda e o pequeno-almoço era excelente. Os funcionários eram muito simpáticos e no primeiro dia organizaram uma visita de grupo aos templos de Angkor. Fizeram-nos sentir tão felizes, confortáveis e seguros.

📷@susyayala

13. paulaespíndolas

Paula é uma chilena viciada em viagens.

📲 Seguidores: 39.1k

Já ouvi tanta gente dizendo que antes de visitar o Chile, achavam que mal tínhamos carros ou internet. Isso me surpreende a cada vez. Os viajantes latinos podem mostrar ao mundo que a América Latina tem paisagens e pessoas incríveis. Temos a missão de mostrar às pessoas que somos independentes e fortes. Muitos países latino-americanos ainda são muito sexistas e pensam que as raparigas não devem viajar sozinhas ou com uma namorada e que se deve viajar sempre com um homem para se estar protegido dos horrores do mundo. Nós não precisamos de um homem. Podemos viajar sozinhas.

📷@voyviajanding

14. cyncynti

A Cynthia é uma aventureira mexicana.

📲 Seguidores: 21.9k

Os latino-americanos são tão amigáveis e acolhedores, o que é uma vantagem para nós enquanto viajamos. Viajar pode ser muito mais relaxante quando se está aberto a coisas novas. Onde quer que eu vá e diga de onde sou, recebo elogios de que meu país é tão bonito e a comida é incrível. Isso deixa-me orgulhosa. Mas, por vezes, as pessoas comentam que somos todos criminosos ou ficam surpreendidas por eu poder viajar. As latinas deviam viajar mais e ver o que existe lá fora. Podemos trazer novas ideias para os nossos países e melhorar as coisas que podem tornar o nosso modo de vida melhor.

📷@cyncynti

15. wanderlustbeautydreams

Stephanie é uma aventureira colombiana-americana.

📲 Seguidores: 5.5k

As pessoas ligam automaticamente a Colômbia a Pablo Escobar e que qualquer pessoa que seja da Colômbia está envolvida num cartel, consome cocaína ou fez cirurgia plástica; a lista continua. Mas eu acho que é pura ignorância e as pessoas reagem com base no que vêem na televisão. Apesar de o meu passaporte dizer que sou americano, não me pareço com o que algumas pessoas esperam que um americano pareça. Tenho orgulho nas minhas raízes e na minha herança colombiana.

Albergue favorito: Minha primeira experiência em albergue foi uma das melhores. Fiquei no The Generator em Barcelona, Espanha, na minha primeira viagem à Europa. O Generator tem uma decoração e um ambiente incríveis. Gostei tanto da minha experiência lá que procurei outros locais onde o The Generator tinha hostels para poder ficar lá também.

📷@wanderlustbeautydreams

16. ambarjanuel

Ambar é um nómada mexicano-americano.

📲 Seguidores: 33k

Adoro ser capaz de falar várias línguas para me conectar com outras pessoas enquanto viajo. Ser capaz de falar espanhol e inglês realmente abriu meu mundo. Tenho tendência a sentir-me mais próximo da minha herança mexicana. Faço o meu melhor para educar os outros sobre o que é ser latino e quais foram as minhas experiências. No México, as mulheres nem sempre são ensinadas a ser independentes ou que é seguro viajar sozinhas. É importante que nos capacitemos umas às outras e partilhemos as nossas experiências para que possamos encorajar outras latinas a irem experimentar o mundo por si próprias. As latinas precisam de se unir para se elevarem umas às outras em vez de se verem como concorrência.

Hostel favorito: Passei momentos incríveis no Hostel Suites DF na Cidade do México. Tinha a localização perfeita, a equipa era incrível e as pessoas que me visitavam tinham as melhores vibrações.

📷@ambarjanuel

17. katvilleda

A Katherine é uma hondurenha-americana com o objetivo de viajar para pelo menos um país novo todos os anos. Ela tem 24 anos e já viajou para mais de 25 países.

📲 Seguidores: 708

Um estereótipo com que tenho lidado é que as pessoas pensam que ser latina significa automaticamente que és mexicana e gostas de comida picante. As pessoas ficam sempre surpreendidas quando digo que sou hondurenha e muitas vezes não sabem onde fica Honduras ou dizem que é um país pobre e perigoso. É por isso que é importante que as latinas continuem a viajar pelo mundo para que as pessoas possam ficar mais conscientes e informadas sobre o que significa ser latino. Temos uma cultura linda e podemos quebrar os estigmas sobre os latino-americanos.

📷@katvilleda

18. faby_tinyglobetrotter

A Faby é uma porto-riquenha que está a dar a volta à Terra com o seu querido cão de resgate, Lazzy.

📲 Seguidores: 1.4k

Não há muitas latinas na indústria de viagens. Eu nunca conheci outra latina enquanto viajava. Precisamos de mais representação. As latinas hesitam em viajar porque a nossa cultura influencia-nos a não correr riscos e a estar sempre seguras. Cresci a pensar que viajar sozinha não era uma opção. Vejo-me como um exemplo de que não há problema em correr riscos. Já conheci pessoas em diferentes países que não sabem onde fica Porto Rico, por isso tenho de lhes mostrar um mapa. Até já enfrentei pessoas que pensam que ainda vivemos e nos vestimos como as tribos nativas faziam há muitos anos. Há um estereótipo latino que adoro e que vivo ao máximo. Sempre que digo a alguém que sou latina, associam isso à dança. Algumas pessoas até começam a dançar quando digo que sou de Porto Rico. Isso traz-me sempre um sorriso à cara e sinto-me muito orgulhosa disso.

Albergue preferido: Gostei muito do The Lights Hostel em Málaga, Espanha. É um hostel muito pequeno, por isso foi fácil fazer amizade com os outros hóspedes. O hostel tem um bar com jogos que tornaram tudo muito mais divertido. Ficar neste hostel tornou a minha experiência em Málaga muito mais memorável.

📷@faby_tinyglobetrotter

19. chasingsunsetsabroad

Sally é uma viajante dominicana-americana que mostra as suas experiências de viagem autênticas na esperança de encorajar outras pessoas, especialmente as de meios socioeconómicos desfavorecidos, a viajar mais.

📲Followers: 739

Aprendi que a minha arma mais poderosa é a educação. A magnitude das experiências pelas quais passei pessoalmente como viajante de uma minoria tornou mais fácil para mim colocar-me no lugar dos outros e compreender as suas perspectivas. Quanto mais viajo, mais me apaixono pela minha herança.

Albergue favorito: A minha estadia no NJoy! em Cairns, Austrália, foi uma das melhores experiências de albergue que já tive até hoje. O hostel tinha várias áreas comuns onde os viajantes se podiam encontrar e conversar. Eles têm reservas de excursões gratuitas e pelo menos duas atividades por semana, o que é ótimo para os hóspedes.

📷@chasingsunsetsabroad

📚 Sobre o autor 📚

Lola Méndez é uma escritora de viagens e viajante a tempo inteiro que partilha as suas aventuras no Miss Filatelista enquanto aumenta a sua coleção de carimbos de passaporte. Viaja para desenvolver a sua própria visão do mundo e já explorou mais de 50 países. Apaixonada por viagens sustentáveis, procura experiências éticas que beneficiem as comunidades locais. Pode segui-la no Instagram, Facebook, Twitter, Pinterest e LinkedIn.

Há mais Instagrammers de viagens latinas que ADORAS? Deixe-nos saber nos comentários! 👇

Get the App. QRGet the App.
Get the App. QR  Get the App.
Rolar para o topo